TRANSLATE

Busque arquivos antigos

10 de outubro de 2006

Espírito natalino

PAZ NA TERRA
















A paz é o presente sagrado que todos queremos.
A vida é a paz do presente que todos fazemos.
Sem paz o presente da vida se perde fechado.
Sem vida o presente da paz não constrói o passado.


Na rua o presente da paz vai no rosto da festa.
Na paz o presente constrói nossa vida modesta.
Sem festa o presente da vida não entra na paz.
Sem paz nossa vida presente não sabe o que faz.

A paz deste santo Natal é o presente da história.
A vida constrói o presente acordando a memória.
Na festa as crianças sorrindo são nosso presente.
Na paz o sorriso da festa é um eterno inocente.


Na rua o presente da festa alegrou as crianças.
Na festa o presente renova saudosas lembranças.
Sem nossos sorrisos de paz não existem presentes.
Sem guerra o presente constrói um futuro decente.


A paz que os tratados escrevem começa na vida.
A vida que cresce na paz floresceu na avenida.
As flores abriram nos vasos pela cidade.
As flores do mundo se abrem na paz da igualdade.

O mundo começa a entender o sentido da vida.
A festa começa a voltar nesta grande avenida.
O sol atravessa de luz toda água do orvalho.
O canto da vida retorna no palco do galho.


O vento balança de novo as saudosas bandeiras.
E o tempo retorna na paz da criança faceira.
Levando o estandarte da vida voltemos à praça
Que a paz deste santo Natal é o presente da graça.


(Elpídio M. Cardoso – Curitiba, 24/12/1977)


O texto foi escrito para demonstrar a paz que desejamos, que é esperada e manifestada no período natalino. Todos sentem que o Natal é um tempo diferente. Deveríamos sentir o espírito do Natal o ano inteiro. A paz que se respira na época natalina é a mesma que se sentiu no nascimento de Cristo. As crianças a demonstram através do sorriso, os adultos recordam o fato histórico. Cristo pregou a paz, mas os homens nem sempre a vivem. Para obtê-la, os homens fazem tratados, bastaria vivê-la, tratando a todos com igualdade. A paz é vida, é um presente que cada um pode dar a si mesmo. Não há sentido viver sem paz. Ela é construída por nós mesmos, e devemos demonstrá-la sempre.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A humanidade é um oceano. Se algumas gotas estão sujas, isso não significa que ele todo ficará sujo. (Mahatma Gandhi)