TRANSLATE

Busque arquivos antigos

29 de setembro de 2011

Guardachuvando Doideiras


SUGESTÃO DE LEITURA

À véspera de completar cem anos de idade, Dito relembra suas peripécias de garoto pobre para conseguir um guarda-chuva novo. Naquela época, ele morava na chuvosa cidade de Petrópolis e vivia ensopado, pois o único guarda-chuva que tinha - um bem deixado por seu pai ao morrer e, por isso, considerado uma verdadeira relíquia familiar - não podia ser usado. Mas esta história não trata apenas de lembranças de infância. Dito também reflete sobre a vida, a passagem do tempo e seu novo ofício: o de escritor. Tudo temperado com muita irreverência, criatividade e bom humor.   Fonte


GUARDACHUVANDO DOIDEIRAS
Sylvia Orthof

1-     Que qualidades você atribui à mãe de Dito?
2-     Dito era uma pessoa religiosa. Cite frases e expressões do texto que mostram isso claramente.
3-     A vida de Dito foi fácil? Por quê?
4-     Ele cometeu algum erro? Qual?
5-     Que qualidades você atribui ao Dito?
6-     Você acha que a mãe de Dito soube educá-lo bem? Por quê?
7-     Que semelhanças tem a sua vida com a vida do Dito?
8-     Como é o Dito depois de velho?
9-     Como você imagina ser quando ficar velho?
10-Que lições você vai guardar para o resto de sua vida, após a leitura deste livro?


Conte sobre sua vida utilizando o mesmo recurso que a autora, de uma forma  muito criativa. Ex: Se na história você está feliz, as letras aparecerão grandes, se estiver triste, elas aparecerão pequeninas, etc..., escreva se alguma vez na vida não pode usar algum objeto e o motivo porque não pode usar.  Fale sobre seus sonhos e finalize o texto dizendo como está fisicamente, se é uma pessoa feliz e o porquê.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

A humanidade é um oceano. Se algumas gotas estão sujas, isso não significa que ele todo ficará sujo. (Mahatma Gandhi)