TRANSLATE

Busque arquivos antigos

5 de agosto de 2008

As belas coisas da vida

As coisas belas da vida,

Podemos ter sem comprar
O sol, a lua, as estrelas,
As ondas verdes do mar.

As borboletas, as flores
E seus aromas no ar...
Do arco-íris as cores
Não precisamos pagar.

Os sonhos e as quimeras,
Alvorada em novo dia,
Os estos da primavera
Nos inspirando à |poesia...

A murmurante cascata,
Nuvem branca em céu anil,
Qual bandeiras tremulando
Nas tardes belas de abril...

O canto da passarada,
A brisa leve a passar...
O frescor da madrugada
Não precisamos pagar.

Sentir na alma a ternura,
No meigo olhar do universo,
Na flor singela a candura
Despetalada num verso...

Das emoções, a mais grata,
O fascínio do luar
Como esponja em pó de prata
A natureza a empoar...

Sentir a vida num beijo,
Depois poder recordar...
Liberdade no desejo,
Poder chorar ou cantar.

O riso de uma criança
A vida vive a nos dar,
O alento da esperança,
Podemos ter sem comprar.
É só ter olhos pra ver,
Ouvidos para escutar,
Sensibilidade ter
_ Capacidade de amar!

Julho de 1994 YOLANDA
Rio de Janeiro - RJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A humanidade é um oceano. Se algumas gotas estão sujas, isso não significa que ele todo ficará sujo. (Mahatma Gandhi)