TRANSLATE

Busque arquivos antigos

9 de agosto de 2008

Folclore brasileiro

FOLCLORE
FOLCLORE – A palavra vem do Inglês, “folk” = povo + “lore” = sabedoria.
FOLCLORE Significa sabedoria popular. È o conjunto de conhecimentos, costumes, lendas, contos, canções, danças, festas, trajes, artesanato, tudo expresso em arte popular.
O DIA DO FOLCLORE É 22 DE AGOSTO
O folclore brasileiro resultou do contato entre os colonizadores europeus, os africanos, e os indígenas aqui existentes.
VEJA O QUE HERDAMOS NO FOLCLORE:


DOS FRANCESE: Traços culturais das atividades dos colégios, como as músicas infantis. Ex: Irmão Jaques (Frére Jacques), Giroflê (girafa), A mão direita tem uma roseira, Vamos passear na floresta. Também nos deixaram a quadrilha.
DOS ALEMÃES: O uso da madeira e tijolos intercalados nas construções, o aproveitamento dos cavalos nas carroças, o uso da batatinha, salsicha, cerveja e shop. O aproveitamento da mulher na agricultura.
DOS INGLESES: O futebol e vários vocábulos. EX: gol.
DOS ÁRABES: Palavras e gestos, O quibe, o espetinho. O turbante usado pelas baianas. O vermelho das roupas.
DOS HOLANDESES: Os tesouros enterrados (segundo as lendas).
DOS JAPONESES: O feijão, o arroz, a sopa e o broto de bambu na alimentação. A palha de arroz na cobertura das casas.

DOS INDÍGENAS: O emprego do sapé e da folha de palmeira na cobertura das casas. A utilização de cipós para amarrar as construções das paredes (barrear). O uso das redes e dos giraus para secar ou guardar mantimentos. A utilização de peneiras, cuias de cabaças, cestos de palha, cipó ou taquara. O emprego de pilões, moringas ou potes de barro (ex: artesanato em barro). A utilização de tangas, cocares, penas, braceletes e colares, (ex: no carnaval). O emprego do laço e da arapuca. A utilização da mandioca (pirão, beiju, mingau), do milho (cozido, assado, canjica, pamonha, pipoca). Outras plantas: amendoim, inhame, abóbora, abacaxi, etc.
DOS AFRICANOS: o uso das saias largas e rodadas. O emprego de panos vistosos e coloridos, chalés, braceletes, argolas, miçangas, balangandãs. Na alimentação: vatapá, acaçá, caruru, acaragé, mungusá, azeite-de-dendê e pimenta malagueta. O uso de instrumentos musicais como: atabaque, marimbá, agogô, afochê. Na religião, os cultos-afro: candomblé, umbanda, macumba.
DOS ITALIANOS: as casas com as bases de pedra e os porões. Na alimentação, macarrão, pizza, risoto, polenta, vinho. Os instrumentos musicais: sanfona, gaita, viola caipira e a banda de música.

DOS PORTUGUESES: a LÍNGUA. As varandas nas construções. Dentro de casa o oratório, o tacho, a cama de tábuas, os baús e arcas, os candeeiros, as lanternas de quatro vidros. A utilização de teares, a roda de fiar, o monjolo, a roda d1água, o cata-vento, o trançado de couro. Na linguagem, os trava-línguas, as adivinhas, os ditados populares, as quadras, as trovas (literatura de cordel), as fábulas, as lendas, os contos, os mitos. Das festas destacam-se também Santos Reis, São Sebastião, Nossa Senhora dos Navegantes, Festas Juninas, São Benedito, Festa do Divino.
DOS ESPANHÓIS: Observa-se maior influência no gaúcho: o chapéu de abas largas preso ao queixo, lenço no pescoço, a bombacha, botas de couro, o poncho. Também o churrasco e o chimarrão, a dança do fandango, algumas músicas infantis e a vaquejada nordestina, com a derrubada do boi puxando-lhe o rabo na corrida.
CONCLUINDO: Todas essa tradições misturaram-se e deram origem e novas criações. Essas novas criações são o nosso folclore.

VAMOS CONHECER NOSSO FOLCLORE?


SACI: É um menino negro de uma perna só, usa um capuz vermelho e, segundo alguns, usa cachimbo. Não é maldoso e só gosta de fazer certas travessuras, como por exemplo, dar nó nos rabos dos cavalos.
CAIPORA: é O PROTETOR DAS CAÇAS DO MATO. Simbolizado por um anão peludo, montado num queixada (porco do mato), atravessa velozmente as matas com grande estrépito. É sinônimo de azar.
CURUPIRA: É o protetor das matas, onde habita. É uma espécie de indiozinho escuro com os pés voltados para trás. Dizem que pressente tempestades, e bate nas árvores para acorda-las, para melhor resistirem às intempéries.
LOBISOMEM: Segundo a crendice sertaneja, é um homem que se transforma em um lobo ou em um enorme cão, nas noites de lua cheia, quando estas caem numa sexta-feira. Inúmeras são as estórias de Lobisomem que circulam pelos sertões.
BOITATÁ: Nas regiões sulinas, alguns campeiros mais supersticiosos evitam cavalgar á noite, temendo encontrar o Boitatá (cobra-de-fogo), na língua guarani). É uma espécie de fogo, em forma de cobra, ou pássaro, que enfrenta o cavaleiro, impedindo a sua marcha.
MENINO DOURADO: é um menino que, nas costas de um peixe denominado “dourado”, em noites de luar, pode ser visto deslizando sobre o rio. Protege os barqueiros.
MÃE-D’ÁGUA: Crendice popular de todas as regiões brasileiras. No Norte é Iara, no Sul habita as lagoas tranqüilas, mas atrai os pescadores para seus domínios. Metade mulher, metade peixe, também conhecida por Sereia. No Rio São Francisco é benfazeja e muitos pescadores juram tê-la visto.

NEGRINHO DO PASTOREIO: Lenda popular do Rio Grande do Sul, é a história do pobre negrinho escravo, sacrificado pelo malvado senhor, porque não encontrou um petiço (cavalinho) que se desgarrara da manada. Depois de açoitado, foi abandonado num formigueiro, onde foram encontra-lo no dia seguinte, cercado por uma aura luminosa ao lado de Nossa Senhora que o levou para o Céu. É invocado na busca de animais perdidos.
BICHO-PAPÃO: é um homem que costuma andar esfarrapado e sujo. Muito feio, barbudo e pálido, tem por hábito roubar crianças choronas e mentirosas, e leva-las para sempre.


JOGRAL: FOLCLORE


Aluno A
Folclore? Sabe o que é?
Todos
São lendas que os velhos contam.
Aluno B
São remédios de folhagens,
Aluno C
Comidas e candomblé.
Aluno D
Objetos, beberagens,
Todos
São as danças, são as músicas.
Todos
São expressões.
Aluno A
São figurinhas de barro.
Aluno B
São trajos, são rituais,
Aluno C
E até bois puxando um carro
Aluno D
E tipos especiais:
Todos
Tudo de uma região!
Aluno A
Enfim, são crenças, são ditos,
Aluno B
Que o povo não esquece não,
Aluno C
Porque são ricos, bonitos,
Todos
Porque é sua tradição

QUADRINHAS POPULARES
Hoje é domingo,
Pede cachimbo.
O cachimbo é de barro,
Bate no jarro.

O jarro é fino,
Bate no sino.
O sino é de ouro,
Bate no touro.

O touro é valente,
Bate na gente.
A gente é fraco,
Cai no buraco.

O buraco é fundo,
Acabou-se o mundo!

VERSOS DO FOLCLORE PAULISTA

“Meu senhor dono da casa
Deus veio lhe visitar
Salve a sua saúde
E a família como está?

O Divino também pede
Um lugar no seu altar
Que esta pomba verdadeira
Está cansa de voar.

A todos desta boa casa
Veio o divino visitar
E pra sua grande festa
Uma esmola vem tirar.

O Divino lhe agradece
A sua bonita esmola
Mais bonita há de ser
A sua chegada na glória.

Agradecemos sua esmola
Dada de bom coração
O Divino concederá
A todos salvação”.

MÚSICA DO FOLCLORE GAÚCHO

“Vou m’embora, vou m’embora,
Prenda minha, tenho muito que fazer,
Vou partir para o rodeio, prenda minha,
No campo do bem querer.

No potreiro dos teus olhos, prenda minha
Eu prendi meu coração
Ficou preso e mui bem preso, prenda minha,
Este potro redomão”.

O VIRA
Ney Matogrosso

O gato preto cruzou a estrada
Passou por debaixo da escada
E lá no fundo azul
Na noite da floresta
A lua iluminou
A dança, a roda, a festa,
Vira, vira, vira
Vira, vira, vira homem
Vira, vira
Vira, vira lobisomem.

Bailam corujas e pirilampos
Entre os sacis e as fadas
E lá no fundo azul
Na noite da floresta
A lua iluminou
A dança, a roda, a festa
Vira, vira, vira
Vira, vira, vira homem
Vira, vira
Vira, vira lobisomem,

LENDA INDÍGENA SOBRE O AMOR


Conta a lenda indígena que, há muitos anos, só existia a escuridão negra e profunda.
Nasceu, então um bravo guerreiro com o destino de ser para os homens a luz brilhante do dia; mas antes disso, ele conheceu e se apaixonou pela mais bela e cativante filha das matas, sendo para ela a luz do amor. A amante chamava-se Lua e havia nascido para clarear, suavemente, a quietude da noite.
A Lua também entregou seu coração ao jovem guerreiro índio, o Sol. Eles tiveram um amor intenso. O maior que o mundo já conheceu. Mas foi chegando o tempo de cada um cumprir sua missão. Lua e Sol tiveram de separar-se para toda a eternidade. No sofrimento de seu coração, A Lua chorou tanto, e por tanto tempo, que suas lágrimas caíram à Terra e formaram o primeiro riacho que cantava triste a sua melodia: depois, o rio Amazonas. O Sol, com seu amor infinito, iluminou e aqueceu, num beijo, a face da Terra.

6 comentários:

  1. Se existe uma coisa fundamental na formação de um ser humano e de um povo é o conhecimento e valorização da sua História e sua cultura. O folclore é parte disso. Os brasileiros estão crescendo sem o conhecimento de sua cultura e sua História. Em nosso dia-a-dia a cultura estrangeira, principalmente a anglo-saxônica, tem predominado de forma avassaladora sobre a formação dos nossos jovens, fazendo-os desprezar tudo o que é nacional. E o pior é que, além disso, os principais veículos de comunicação, não apenas divulgam e enaltecem a cultura estrangeira, como, em relação ao Brasil, só ressaltam fatos negativos, principalmente a corrupção e a criminalidade. Inclusive, como a imprensa estrangeira reflete os assuntos em destaque na imprensa nacional, geralmente o que é divulgado no exterior sobre o Brasil, na maioria das vezes, são sempre fatos negativos. O Brasil tem muita coisa boa, mas o que predomina nos meios de comunicação nacionais é o que tem de pior. A escola de qualidade é o único meio que temos para construirmos uma geração mais bem informada e preparada para enfrentar os grandes desafios do mundo cada vez mais competitivo e globalizado em que vivemos e que também conheça e valorize a sua cultura.

    ResponderExcluir
  2. Nossa recordei meus tempos de colégio, e não conhecia algumas lendas e costumes, adorei.
    Beijos de bom fim de semana minha querida!

    ResponderExcluir
  3. Ótima postagem! Aliás, ótima aula!
    Há muito tempo eu não "ouvia falar" dessas músicas, hoje em dia as crianças quase não cantam.

    Beijo, moça.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia!!! adorei,Li Thomaz-Biritiba Mirim -SP

    ResponderExcluir
  5. QUERIA OUTRO JOGRAL ESSE E VBONITO + OUTRO ERA MELHORRRRRRRR

    ResponderExcluir
  6. o folclore é um tipo de ligaçao entre as pessoas que se comunicam entre musicas e danças elendas e etc..
    assim a comunidade se liga mais e se comunica mais uns com os outros. na minha rua sempre tem danças e quadrilhas e muito mais beijos e beijos

    ResponderExcluir

A humanidade é um oceano. Se algumas gotas estão sujas, isso não significa que ele todo ficará sujo. (Mahatma Gandhi)