TRANSLATE

Busque arquivos antigos

4 de janeiro de 2009

François Bitencourt

Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.

Às vezes nos falta esperança. Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.

Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar...é nossa razão de existir.

Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino. Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa.

Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um pôr do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto.

É a força da natureza nos chamando para a vida.

Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade.

Você entende que o que para você era amizade, para outros era apenas conveniência, oportunismo.

Você descobre que algumas pessoas nunca disseram eu te amo, e por isso nunca fizeram amor, apenas transaram...

Descobre também que outras disseram eu te amo uma única vez.

E agora temem dizer novamente, e com razão, mas se o seu sentimento for sincero poderá ajudá-las a reconstruir um coração quebrado.

Assim ao conhecer alguém, preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu, são fatores importantes: a relação com a família, as condições econômicas nas quais se desenvolveu.(dificuldades extremas ou facilidades excessivas formam um caráter), os relacionamentos anteriores e as razões do rompimento, seus sonhos, ideais e objetivos.

Não deixe de acreditar no amor. Mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá.

Manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam. E certifique-se de que quando estão juntos, aquele abraço vale mais que qualquer palavra.

Esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá lhe restar.

Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco.

Pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado.

Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário.

Existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.

A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna.

A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem...

Autor: François Bitencourt

5 comentários:

  1. Oi, moça,
    posso não comentar sempre, por falta de tempo, mas sempre dou uma passadinha, mesmo rápida, para ver o blog.

    Fiz uma referência às pessoas que que estiveram em minha casa neste ano que passou e que me marcaram de alguma maneira. Passa lá em casa para ver!

    Vamos recomeçar?!

    Muita saúde!

    ResponderExcluir
  2. Terezinha Bordignon
    "Sou professora do Ensino Fundamental. Desenho, pinto telas. Amo viver. Procuro sempre aprender e fazer algo que me torne uma pessoa melhor."

    Cara Professora Terezinha,

    Tomei a "liberdade" de colocar aqui o que você escreveu em seu perfil.
    Eu também sou professora, e assim como você, procuro aprender, estudar, me conhecer... enfim, evoluir.

    Quero, com toda a humildade, lhe dizer algo importante, principalmente pelo fato de que você é uma pessoa que trabalha com Educação (por favor, de forma alguma tenho como objetivo ofendê-la). Venho apenas alertá-la para uma falha que você cometeu - que, por sinal é muito comum na internet. Em seu blog você postou uma mensagem linda: A FELICIDADE PODE ESPERAR, colocando como autor o Luis Fernando Veríssimo.
    Eu recebi a mesma mensagem de um vídeo do youtube, que também constava o LFV como autor. Porém, achei estranho. Não me pareceu ser o estilo dele.
    Daí, fui pesquisar no Google e depois de muita busca (quase todos os sites ou blogs dão à "mensagem" LFV como autor), encontrei a confirmação. O texto não é mesmo do Veríssimo. Caso queira confirmar, visite o http://www.rosangelaliberti.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=373882.
    Desculpe-me. Só quis "acrescentar", certo?

    Atenciosamente,

    Natalina.

    P.S. Gostei muito de seu blog. De verdade.

    ResponderExcluir
  3. Oi Natalina

    Ainda bem que me avisou. Fico muito agradecida. Se acontecer de novo, não tenha receio, pode falar.

    ResponderExcluir
  4. François de Bitencourt8 de junho de 2009 21:13

    Autoria

    Sou eu o verdadeiro autor do texto citado como sendo "A felicidade pode demorar...", o título original é "O amor e a vida" ou "Uma reflexão sobre o amor e a vida", o que pode ser pesquisado e confirmado na internet, e encontrado em diversos sites, até mesmo no you tube, escrevi em 2002, alteraram o título e começaram a divulgar como se fosse do Luis Fernando Veríssimo, não sei o porquê? A obra é de minha autoria, peço que seja alterada a autoria e creditada a François de Bitencourt e-mail: francoisb@terra.com.br assim poderei alterar o erro de autoria que está sendo amplamente divulgado pela internet, para que não hajam dúvidas a comunidade do Luis Fernando Veríssimo na internet com mais de 120mil integrantes reconhece que esse texto não é dele, e sim meu e relaciona diversos trabalhos falsamente atribuídos a ele. Para confirmar acesse:

    http://www.orkut.com.br/Main#CommEvent.aspx?cmm=39826&crt=4703581&dat=1293778800

    ResponderExcluir
  5. François

    Merecidamente reconhecia a autoria. Parabéns pelo lindo texto.

    ResponderExcluir

A humanidade é um oceano. Se algumas gotas estão sujas, isso não significa que ele todo ficará sujo. (Mahatma Gandhi)