TRANSLATE

Busque arquivos antigos

30 de setembro de 2015

O Gabinete do Dr. Caligari




O gabinete do Dr. Caligari (1920)


            O Expressionismo Alemão é reflexo da profunda crise espiritual originada nos campos de batalha da Primeira Guerra Mundial. Segundo as características desse movimento, o expressionismo escapa à lógica, pois é subjetivo. Numa breve explanação, é bom lembrar que Dr. Caligari é um médico louco, que usando uma capa negra e uma cartola, vive alucinações faz mau uso de seus poderes mentais, hipnotiza um jovem e o induz a matar várias pessoas, sem ter consciência daquilo que faz. O filme ganha destaque quando o jovem se recusa a assassinar uma bela jovem. Para desenvolver o enredo tem necessidade de imagens distorcidas e deformadas, que dão sentido à trama e narram a tragédia.
            O Gabinete do Dr. Caligari  é um clássico do terror, lançado em 1919. Apresenta um visual um tanto surrealista. Foi uma das primeiras obras do expressionismo alemão e privilegia o tom escuro,  os estranhos efeitos de forte contraste entre luz e sombra, de cenários e ângulos de câmera distorcidos, além de climas psicológicos, para expressar os delírios de um louco, de forma irreal, abstrata, como as imagens de um sonho. Lida com temas como a demência, o controle mental e obsessão pelo poder, é uma alegoria sobre a situação política e social da Alemanha do pós-guerra, o militarismo e as imposições das autoridades do sistema. Seu roteiro foi escrito com um sentimento de aversão a esse sistema. É um questionamento a respeito da obediência cega à autoridade.
            O cenário é criado com pedaços de madeira e pano pintados com imagens distorcidas e com predomínio de linhas geométricas retas, obliquas e agressivas.  O uso de luz e sombras são típicos do expressionismo. Cenas de telhados, caminhos, pontes, florestas tornam-se surreais e ameaçadores, para expressar visualmente os sentimentos das personagens.  A casa do Dr. Caligari parece pequena e apertada por fora, o que causa uma sensação de incômodo.
            Por se tratar de um filme do início do século XX, quando o cinema estava em seu início e ainda era mudo, a trilha sonora é um elemento primordial, pois conduz o telespectador e mostra sua trama conforme as intenções do expressionismo: suspense, medo, enigma, terror fantasmagórico  estão presentes o tempo todo, conferindo uma atmosfera de pesadelo, sugerindo algo assustador

            O protagonista, bastante convincente, usa forte maquiagem, dirige um olhar perturbador, forte, de ameaça ao telespectador, um visual bastante sombrio. Sua interpretação, por Werner Krauss, o misterioso e cruel médico, Doutor Caligari é bastante exagerada e enigmática. Apresenta movimentos pouco naturais, uma qualidade irreal, fantasiosa, mórbida. O mesmo pode-se dizer do sonâmbulo César. A expressão facial e corporal também provocam medo. O exagero nas expressões buscam externar os sentimentos das personagens. Os figurinos se adéquam às atuações das personagens.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A humanidade é um oceano. Se algumas gotas estão sujas, isso não significa que ele todo ficará sujo. (Mahatma Gandhi)